Que tipo de negócio mais combina com você?

A maior parte das pessoas sonha em ser seu próprio chefe. A outra parte é mentirosa. O grande problema é que essas pessoas nunca tomam atitude de investir tempo e dinheiro em uma idéia de negócio que pareça ser promissora. Parte desse problema é que a imensa maioria não tem a menor idéia do que seria um negócio mais adaptado ao seu próprio perfil, ou então tem idéias genéricas que acabam não contribuindo muito para a sua meta.

Pensando nisso eu vou dar uma dica sobre um modelo de negócios que eu acho que se adequa com perfeição a maior parte das pessoas que pensa em abandonar o emprego. Esse modelo de negócios é o que é chamado atualmente de empreendedorismo online. Ele consiste exatamente no que parece ser pelo nome: empreender, explorando um negócio através da internet. Tal tipo de negócio tem muitas vantagens em relação aos negócios físicos e a primeira dela é sem dúvida alguma os baixos custos para se entrar no negócio.

Empreender

Ao contrário do que ocorre com um típico negócio físico, onde o empreendedor terá que se preocupar com o dinheiro necessário para alugar um bom local, para pagamento das luvas, para compra da mobília necessária para o comércio e tudo o mais, quando falamos de um negócio digital esse tipo de empecilho não aparece. Outra vantagem deste modelo de negócio é a sua simplicidade. Pode ser algo tão simples quanto importar produtos para revendê-los aqui. Quanto ao local do seu negócio, isso pode ser tão simples quanto criar um site.

Por isso eu acho que esse tipo de negócio se adapta muito bem a alguém iniciante, servindo para facilitar os primeiros passos do novo empreendedor. Por outro lado, é um tipo de negócio que também confere uma grande flexibilidade de tempo, possibilitando um crescimento significativo mesmo sem despender um grande número de horas.

Informação é tudo para quem quer importar

Uma coisa que eu noto habitualmente, no meu dia a dia, é que cada vez mais pessoas tem buscado importar produtos ao invés de comprá-los por aqui, como forma de economizar, fugindo dos preços muitas vezes absurdos que são cobrados por aqui. Recentemente, entretanto, com a disparada contínua do dólar, que já passou dos três reais atualmente, com perspectivas para chegar aos 4 reais nos próximos meses, muitas pessoas se mostram inseguras e bastante receosas de importar alguma mercadoria, com medo de que o preço fique tão alto quanto ou até mesmo significativamente maior do que aqui. Um outro problema que parece ainda preocupar os aspirantes a importador e mesmo aquelas pessoas que já importam há algum tempo é a greve dos correios que ocorreu há poucos meses atrás e causou diversas paralisações na entrega de encomendas, com atrasos que chegaram a semanas em muitos casos. O monopólio dos correios sobre os serviços de entrega definitivamente tem que ser revisto, poucas empresas são tão ineficiente, mas bem, este é um assunto para outro post.

Importação

O assunto que eu quero discutir aqui hoje, como introduzi na primeira linha, é importação. Bom, vamos lá. O que eu tenho de importante para falar para vocês hoje sobre esse tema é um problema muito comum que eu verifico em quem nunca importou e esta pensando em importar ou até mesmo em quem já importou algumas vezes mas não costuma fazer isso com frequência.

O nome do jogo aqui é informação. Muitos desses iniciantes ou “semi-iniciantes” acabam perdendo oportunidades por não saberem exatamente as técnicas para importar da maneira mais vantajosa. É por isso que eu quero indicar para vocês um site sobre importação que eu achei e considero bastante útil para quem esta começando é o Attlantis – Tudo sobre importação. Para os que estão preocupados com o impacto da alta do dólar em suas compras exteriores eu digo que, embora o dólar esteja realmente altos, se você conseguir dominar adequadamente as técnicas de importação ainda será possível fazer boas economias.

Como começar a importar

Muitas pessoas pensam em começar a importar produtos do exterior como forma de economizar. Este tem se tornado um pensamento realmente bastante comum devido aos alto preços que são praticados aqui, sendo ele o responsável pela maioria das pessoas que começa a importar produtos do exterior. Por outro lado, há também aquelas pessoas que querem começar a importar não apenas para economia própria, mas sim para realmente criar um negócio a partir dessa idéia.

Independentemente do objetivo, entretanto, é muito importante esclarecer que em qualquer caso o mais inteligente a se fazer é arranjar um bom curso no assunto para evitar que se comece já dando os passos errados no complexo mundo da importação de produtos. Você pode pensar que isso é bobeira, que não é realmente necessário, e que pode aprender sozinho tudo o que for necessário para ser bem sucedido. O problema com esse raciocínio é que a imensa maioria das pessoas que o possui acaba se dando muito mal. Embora seja possível que você possa aprender sozinho aquilo que for necessário para importar, isso irá levar bastante tempo e, muito provavelmente você irá perder muito tempo no processo.

Aprenda como importar da china

Por outro lado, com um bom curso a sua disposição, você não irá precisar passar o mesmo sufoco. É claro que isso não significa que você irá conseguir tudo facilmente, mas irá facilitar bastante, e se você realmente se empenhar, poderá construir seu negócio de maneira sólida.

Mesmo que você já esteja convencido do que eu estou te falando aqui, provavelmente deve estar se perguntando: Mas por onde começar? como vou achar um bom curso que me ensine a importar de maneira eficiente? Bem, existem várias opções que você pode procurar pela internet para aprender como importar da China, mas uma dica que eu posso te dar é ficar de olho na qualidade da informação e nos resultados prometidos. Geralmente aqueles cursos que garantem resultados expressivos sem qualquer risco envolvido podem esconder algo não muito bom. Portanto, analise bem antes de tomar sua decisão.

 

Porque a China é o melhor lugar para importar

Ouvir reclamações a todo momento dos altos preços praticados para quase todos os produtos, hoje em dia, é quase tão natural quanto escovar os dentes todas as manhas. De fato, se você parar para analisar o preço de quase tudo que consome com um maior valor agregado, especialmente produtos que envolvem alta tecnologia como iphone, tablets, computadores, smartphones, etc., vai notar que esses produtos encontram-se realmente muito caros, especialmente se comparados aos preços praticados no exterior.

É por isso que muitas pessoas a tempos já vem praticando algo que é uma mão na roda para fugir desse tipo de coisa: a importação. Pois é, essa pode parecer uma resposta bem simples para não ter que enfrentar os altíssimos preços encontrados por aqui nunca mais, mas realmente essa é uma excelente solução, e eu vou explicar melhor o porque nas próximas linhas.

A grande questão é que, para quase todos os produtos que você habitualmente compra por aqui, você irá notar uma diferença gigantesca no preço quando fizer a comparação com o mesmo produto sendo vendido lá fora, por lojas internacionais. Muitas vezes você pode chegar a pagar apenas um terço do preço original do produto. Mas então porque todo mundo não faz isso? você pode se perguntar. Bem, na minha opinião, acredito que a maioria das pessoas não faça isso simplesmente porque tem medo de fazer alguma besteira e acha que é mais complicado do que realmente é.

China

Felizmente o assunto realmente não é tão complicado assim e, se você tiver qualquer dúvida, pode consultar sites como o Attlantis – Saiba como importar, que se especializam no assunto importação, especialmente em importação da China. Falando na China é bom esclarecer que, ao contrário do que muitas pessoas pensam, não são todos os produtos que vem de lá que são falsificados e de baixa qualidade, mas na verdade, é só uma questão de saber o que comprar e de quem comprar. Esse talvez seja um conhecimento que vai um pouco além do básico que você precisa para começar a importar, mas isso não é realmente um problema, já que você pode pesquisar em diversos sites dedicados ao assunto, inclusive o que eu acabei de citar.